eu parira, tu pariras, ela parira, nós paríramos, vós paríreis, elas pariram VEM COMIGO? para você e por todas
Vocalizar para deixar fluir

Vocalizar para deixar fluir

Vocalizar diminui os desconfortos durante o trabalho de parto. Você provavelmente já ouviu falar que mulheres em trabalho de parto gritam, urram, berram… Mas sabia que esse é um mecanismo muito eficiente para lidar com a dor? Não é simplesmente gritar, existem algumas técnicas para auxiliar, mas no geral quando a pariunte emite sons ela manda um sinal para a região do períneo se soltar também, facilitando o trabalho das contrações e da descida do bebê.

Claro que é bem particular como a mulher vai se comportar durante o trabalho de parto, existem algumas que preferem o silêncio, e vão conduzir muito bem dessa forma. (Ninguém vai ficar insistindo para a mulher vocalizar – ou pelo menos ninguém deveria fazer isso). Mas eu sinto que esse silêncio na maioria das vezes, está relacionado a tanta opressão e silenciamento que as mulheres sofrem a gerações.

Uma das violências obstétricas mais sofridas relatadas por mulheres em trabalho de parto é quando algum profissional pede para que ela pare de gritar, ou soltam as clássicas frases “na hora de fazer não gritou assim né? Agora aguenta!” ou “Não grita, vai assustar as demais”… Essas frases ressoam na nossa alma…
Parir é um ato extremamente empoderador e transformador. É uma retomada de poder incrível e vocalizar é só um dos lugares a se ocupar. Deixem que as mulheres gritem suas dores, exorcizem seus processos. Liberem o animal-fera que mora em seu interior! Esse é o momento para ele emergir.

Assim como uma respiração mais longa, consciente e presente é mais efetiva a forma de gritar que auxilia esse processo e vai se modificando conforme a evolução do parto; É um grito que vem da alma, mais parecido com um urro animal (porque é isso mesmo o animal-mamifero se manifestando). Um tom grave, usando o diafragma, relaxando o maxilar, liberando a garganta de qualquer tensão, ombros e pescoço relaxados.

A estrutura da garganta é muito semelhante a estrutura do canal vaginal/períneo, cheio de músculos interligados. Relaxar a parte superior ajuda a lembrar de relaxar a musculatura inferior.

2 - Vocalizar para deixar fluir

Ilustração: Luisa Alexandre

Deixa ir, libera o que precisa. Pode xingar, urrar, berrar ou cantar o que lhe for mais confortável, mas coloque para fora o que está a tanto tempo preso na garganta… Pense nisso quando for fazer a playlist do parto e coloque algumas músicas que você canta no chuveiro!

Libere a passagem dos seus receios e tome com as rédeas seu maternar, pode parir! Não importa quanto duvidem de você, você consegue!

E nunca mais será a mesma.

Foto destaque: Deborah Ghelman

You may also Like

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

×