eu parira, tu pariras, ela parira, nós paríramos, vós paríreis, elas pariram VEM COMIGO? para você e por todas
Fases do Trabalho de parto

Fases do Trabalho de parto

Assim como são – em média – 40 semanas de gestação, o seu corpo vai lentamente se preparando para o momento do parto e segue uma sequência de fases no trabalho de parto. Existem trabalhos de partos mais longos e outros rápidos e isso tem a ver com muitas individualidades. Normalmente o segundo parto costuma ser mais rápido, porém isso não é regra.

Cada um na sua

Cada corpo de cada mulher tem uma forma de lidar com o processo então na verdade não se sinta mal ou preocupada se algo for diferente com você. A beleza está exatamente nessa naturalidade e individualismo. Todas mulheres em trabalho de parto vão passar – de uma forma ou outra – por essas fases, é um processo fisiológico. Não existe tempo, regra ou ritmo. Seu parto pode – e provavelmente – será diferente da sua mãe, amiga ou cunhada. E tudo bem! lembre-se, cada corpo, cada binômio (mãe-bebê), uma história, um parto! Mesmo mulheres que pariram mais de uma vez, vão ter experiências diferentes para cada filho. Conhecer das fases do trabalho de parto ajuda a se preparar melhor e saber como agir quando seu corpo der os sinais, além de garantir uma certa tranquilidade por saber – mais ou menos – como será a experiência.

Pródromos

cansaço na gravidez - Fases do Trabalho de parto

Na verdade não são considerados trabalho de parto, é o que antecede o trabalho de parto – uma fase que pode durar horas, alguns dias ou até uma semana. Novamente: sua apresentação depende muito de cada mulher.
Característica principal é a presença de contrações irregulares e curtas. Muitas vezes se intensificam durante a noite e diminuem durante o dia o que dificulta a mulher descansar e cria a expectativa de entrar em trabalho de parto. Pode haver dor nas contrações e por isso algumas mulheres acreditam estar em trabalho de parto – por isso pródromos as vezes são chamados de ‘falso trabalho de parto” – se a mulher vai até o hospital nesse momento corre o risco de ser internada (precocemente) e as chances do trabalho de parto evoluir naturalmente são bem menores.

Dificilmente a mulher fica uma semana internada num hospital aguardando o inicio do trabalho de parto…  se em casa, num ambiente familiar e tranquilo pode demorar esse tempo todo imagine num hospital conta toda a frieza, protocolos e interferências que existem… (aquela história de ‘fulana não teve dilatação começa aqui’) Por isso a importância de saber dos processos, ter um profissional de confiança acompanhando – a doula pode ajudar bastante nesse momento – e entender a fisiologia do parto.  Uma dica que costuma funcionar: tome um banho quente bem longo, se as contrações pararem de vez após o banho são pródromos.

cuidando dos últimos detalhes

Como não se sabe quanto tempo vai durar, mas já sabemos o que vem em seguida – nesse momento a ordem é “descansar”. (Re)organize as coisas para o parto – malas, documentos etc – e mantenha uma rotina leve e tranquila dentro das possibilidades, durante o dia vale fazer umas caminhadas, se alimentar bem e a noite descansar. Dormir! Dentro do que as contrações permitirem. Relaxe! Assista algum filme – leves, tipo comédias românticas – fique com as pernas pro ar, faça escalda pés, leia um livro… cuide dos últimos detalhes e de você! Em breve terá uma maratona para enfrentar!

Fase latente

preparacion para el parto mobile - Fases do Trabalho de parto

Aqui sim de fato o inicio do o trabalho de parto. Na fase latente de trabalho de parto, as contrações se intensificam e normalmente as mulheres relatam uma dor que irradia da lombar para o baixo ventre (ou vice-e-versa). É nesse momento que o colo começa a amolecer e o processo de dilatação se inicia. As contrações continuam irregulares – mas com considerável diminuição de intervalo, podem ter intervalos de meia hora até 5 minutos – e não cessam. Dica de ouro: aproveite esses intervalos para descansar, tente cochilar!

Encontre posições que favoreçam você descansar logo que as contrações passarem. Sugiro que no inicio tente ficar na cama o máximo que conseguir – acredite uma hora vc vai ‘pular da cama’.

Mesmo na fase latente, dormir ou ao menos descansar é muito importante para seu desempenho durante o trabalho de parto. Se você teve pródromos longos e doloridos, mais importante ainda! A doula pode ajudar bastante indicando posições e formas para lidar com as dores. Essa fase dura em média 08 a 12 horas. Não esqueça de se alimentar e se hidratar bem. Mantenha o ambiente mais tranquilo possível, poucas luzes sem interferências e relaxe. Se entregue ao processo, quanto maior a entrega mais rápido o trabalho de parto se desenrola. Essa fase deve acontecer em casa preferencialmente.

Bolsas de água quente, massagens, bola de pilates podem ajudar a aliviar os desconfortos. A maratona está no começo, poupe energias para os próximos estágios. Falando em energia, um bom momento para tentar comer algo mais calórico como açaí, sorvete… Ou o que sentir vontade. Avise a equipe que vai te acompanhar e esteja em contato com a sua doula.

Fase ativa

Ou franco trabalho de parto é aquele momento que mencionei que vc ‘vai pular da cama’, dura de 3 a 5 horas normalmente. Temos contrações fortes e ritmadas com intervalos de 5 – 3 minutos e duração maior que um mínimo. Existe um aumento considerável na intensidade das dores das contrações, fase onde fica difícil descansar e possivelmente só consiga ingerir líquidos se conseguir ingerir algo – hora de investir em água de coco, gatorede…  
Diferente da fase latente, quando a mulher consegue conversar e se mantém presente, conforme a fase ativa vai avançando a mulher vai fica mais introspectiva, olhos fechados e começa entrar num certo transe.

coletivo buriti leia betrao - Fases do Trabalho de parto
Coletivo Buriti – Foto Lela Bertrão


Nesse momento do trabalho de parto a doula já está presente e auxilia a mulher a lidar com as dores mais intensas. Pode ser um bom momento para entrar no chuveiro ou se possível na banheira – a água quente confere um alivio incrível durante o trabalho de parto. Hora de avisar a equipe e/ou ir ao hospital ou casa de parto (senão for um parto domiciliar planejado). Aqui tanto a mulher quanto o bebê precisam ser monitorados.

Transição

Das fases do trabalho de parto esse é o momento mais intenso e, sabiamente, mais rápido – dura de 30 minutos a uma hora e meia. O colo já está apagado, centralizado e com dilatação total são as contrações mais doloridas e no meio ao transe que a mulher se encontra – na Partolândia – chega a ‘hora da covardia’ onde a grande maioria (para não dizer todas) as mulheres são invadidas por um grande medo e desespero escuta-se alguns “eu não aguento mais”,”me tira daqui”,”chega!”… muitas vão pedir por analgesia, cesárea, “arranquem esse bebê daqui”.

É muito importante saber desse momento e acolher a mulher nessa fase para que possa passar por ele. Seu acompanhante também. Muitas vezes a doula tem papel fundamental nessa fase, trazendo palavras de encorajamento ajudando a emergir a força que a mulher já tem. Além de fazer valer as vontades da mulher conforme seu plano de parto.

Expulsivo

As contrações são sentidas de forma diferente, começa vontade de fazer força – involuntariamente. A mulher busca uma posição para parir. Vocaliza bastante. Pode durar de 30 minutos a 3/4 horas. Nessa hora o corpo exige demais. Sempre bom lembrar da respiração, a doula sempre atenda ao cenário, auxilia a mulher em suas demandas – as vezes precisa de um reforço que está tudo bem, um olhar, uma mão, ou apenas a presença. Muitas vezes a mulher pode se tocar e sentir a cabecinha do bebê.

O momento que o bebê coroa (fica com o topo da cabeça aparecendo) e passa é chamado de ‘circulo de fogo’ devido a sensação de ardência/queimação que as mulheres relatam; Muitas mulheres gostam de ver a cabeça coroando com o auxilio de um espelho (que a maioria das doulas carrega em suas bolsas mágicas). Depois que a cabeça saí, o corpo desce nas próximas contrações.

coletivo buriti - Fases do Trabalho de parto
Coletivo Buriti – Foto Bia Takata


Logo que o bebê nasce ocorre um misto emoções. As dores desaparecem e o cansaço é interrompido por uma enxurrada de hormônios. Importantíssimo o contato pele-a-pele entre mãe e bebê logo após o nascimento. A doula pode ajudar a colocar o bebê para mamar – se for solicitado pela mãe e/ou o bebê mostrar interesse. E, ao menos que a mulher solicite qualquer demanda, toda equipe deve se afastar e manter silêncio. Ficando atentos a qualquer questão/necessidade que possa surgir.

Dequitação da placenta

Normalmente ocorre naturalmente por volta de 30 minutos ou 1 hora após o nascimento do bebê. É a última das fases do trabalho de parto. As contrações recomeçam, de uma maneira bem leve e a placenta nasce. Nessa fase não existe participação da mulher nesse processo, é um movimento involuntário e suave. O estimulo da sucção do bebê no peito auxilia a dequitação. Se estiver tudo bem com a mulher e bebê pode se aguardar esse processo apenas como espectadores, porém se alguma questão que mereça maior atenção – de repente um sangramento importante de alguma laceração ou demora no inicio das contrações – pode ser que a equipe médica realize algumas técnicas para auxiliar o inicio do processo.

Após o nascimento da placenta o trabalho de parto termina. Temos então um momento muito importante do pós-parto inicial chamada de Golden Hour. Assunto para um próximo post.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

×